Notícias

Anterior Seguinte
Informações | 16 12 2013
208 encara a concorrência e conquista seu espaço

2081612gfd

A Tribuna (Santos) – Página 16 – 11/12/2013

 

O Peugeot 208 chegou ao Brasil, em março, como status lá em cima. Afinal, foi o compacto mais vendido na Europa em 2012. Por aqui, com aspirações não tão ambiciosas, o carro tem a árdua tarefa de enfrentar os outros hatches compactos com proposta mais requintada, como Ford New Fiesta, Hyundai HB20 e Citroën C3. Além disso, tinha de manter o patamar de vendas do 207- com o qual ainda convive.

 

Mesmo com a faixa de preço elevada, o 208 vai conquistando seu espaço. Desde o lançamento, o hatch acumula a média de 2.300 unidades/mês. A versão topo de linha Griffe contribui, e muito, para isso. Responde por 35% da comercialização - dividida em 15% com câmbio manual e 20% automática. Tais números chegam perto dos 36% da intermediária Allure, que era a aposta da marca para obter metade do mix.

 

Em relação à Allure, a Griffe eleva o nível refinamento. Por fora, pequenas mudanças. Como um friso cromado em volta da linha das janelas e as rodas que, além de crescerem de 15 para 16 polegadas, possuem desenho diferente e escurecido. Já o tom cinza claro de alguns detalhes no interior dá lugar a uma cor grafite.

 

O console central, com visual limpo e poucos botões, tem acabamento em black piano e denota refinamento. Os bancos não possuem a opção em couro, mas a Peugeot deu atenção a eles, que na versão Griffe têm revestimento de melhor qualidade. A grande sacada foi a arrumação do quadro de instrumentos, acima do volante. Para isso, os engenheiros reduziram o diâmetro da peça.

 

Debaixo do capô, a fabricante reservou o motor flex 1.6 16V para a versão Griffe - que é compartilhado com o Citroën C3. Ele rende 122 cv com etanol e 115 cv com gasolina. O trem de força se completa com o câmbio manual de cinco marchas. Com torque de 16,4 kgfm e 15,5 kgfm - com etanol e gasolina, respectivamente -o 208 Griffe é capaz de atingir os 100 km/h em 9,7 segundos, sempre com etanol. A versão topo de linha ainda tem a opção do câmbio automático de quatro marchas, o que eleva a conta para R$ 54.990,00.

Por Raphael Panara

 

 

Equipamentos

A versão Griffe traz tudo que o 208 pode oferecer. Desde a Allure, o hatch tem central multimídia com rádio, GPS e tela de sete polegadas sensível ao toque, teto panorâmico, luzes diurnas com lâmpada, trio elétrico, computador de bordo, mas na Griffe os dispositivos ficam mais sofisticados. Destaque para o ar-condicionado de duas zonas. Completam o pacote as luzes diurnas de led, sensores de estacionamento, luz e chuva, além de controle de cruzeiro no volante. Com câmbio manual, o hatch custa R$  51.690,00

 

 

 

 

Ao volante

A Peugeot conseguiu um belo resultado com o 208. No habitáculo,os plásticos são de boa qualidade. A posição dos instrumentos permite nova interação do condutor com os mostradores. É fácil se acostumar a olhar par cima do volante e lá encontrar velocímetro, conta-giros e medidor de combustível. Outro destaque é o teto de vidro panorâmico.

 

Em movimento, o motor 1.6 de 122 cv empurra o hatch sem titubear. Com o torque máximo de 16,4 kgfm com etanol, reforça a sensação de esportividade. Outro acerto é a suspensão. Firme, ela garante equilíbrio entre conforto para passageiros e rigidez para as curvas.

 

 

Ficha técnica

Motor: Flex,1.587 cm, quatro cilindros,comando simples no cabeçote, 16V e comando variável na admissão

Potência: 122 cv a 6 mil RPM

Torque: 16,4 kgfm a 4 mil RPM

0 a 100 km/h: 9,7 segundos

Peso: 1.153 kg (1.189 kg com câmbio automático)

Câmbio: Manual, cinco velocidades

Pneus: 195/55 Rl6

Dimensões: 3,97m de comprimento, 1,70 m de largura, 1,47m de altura e 2,54 m de distância entre-eixos

Porta-malas: 318 litros

Tanque de combustível: 55 litros